5 bandas para entender o estilo Grunge.

quarta-feira, abril 19, 2017

Olá, eu estava sumida porque estava com um bloqueio criativo enorme, que felizmente já passou! O post de hoje é o primeiro de uma série, em que eu vou trazer 5 bandas definitivas de cada sub-gênero do rock, não prometo postar tal dia ou fazer um numero X de postagens, vai do que der na minha telha, haha.
O primeiro estilo dessa série é um dos mais conhecidos entre os adolescentes e por isso carrega um certo preconceito entre o pessoal mais velho. O grunge teve inicio no final da década de 80 e seu auge nos anos 90, com a explosão das bandas de Seattle, tanto que esse estilo também é conhecido como Seattle Sound, as principais influencias do gênero são Indie Rock, Heavy Metal e o Hardcore. Com letras deprimentes. um som sujo e músicos desleixados, os shows das bandas grunge rejeitaram tudo o que o rock trazia até então pirotecnia, efeitos de luz e visuais, nada disso fazia sentido o negócio era tocar, sem grandes pretensões.
Colocar apenas 5 bandas nessa lista, não é tarefa fácil posso ser injusta com alguém, mas parafraseando uma amiga "vida que segue" e se a vida segue, a lista começa:



Nirvana

É impossível falar de grunge sem falar de Nirvana, talvez a banda mais bem e mal sucedida da história do rock. Bem sucedida pois eles venderam cerca de 75 milhões de álbuns no mundo, mal sucedida pois seu principal integrante Kurt Cobain, cometeu suicídio.
Infortúnios a parte o Nirvana foi ícone de uma geração e continua sendo influencia para muitos adolescentes nos dias de hoje.
O disco mais lembrado do Nirvana é sem duvidas o Nevermind, mas na minha opinião o melhor trabalho deles é o In Utero, esse disco é muito mais grunge do que o Nevermind, enquanto o primeiro é extremamente comercial e foi feito para vender, o In Utero é um relato do sofrimento de Kurt Cobain, e musicalmente falando é um disco totalmente desapegado da industria musical, tanto que o produtor desse album é Steve Albini, um cara que já tinha trabalhado com artistas underground como PJ Harvey, Breeders e o primeiro disco dos Pixies o Surf Rosa. Comercialmente esse disco não foi o sucesso do Nevermind, mas se para entender o grunge você deve ouvir Nirvana, para entender Nirvana você deve ouvir o In Utero.

Mudhoney

Dizem que o Mudhoney é a banda percursora do movimento grunge e o que ninguem pode negar é que ela é irmã do Pearl Jam já que os integrantes do Mudhoney Mark Arm e Steve Turner, tocaram com Jeff Ament e Stone Gossard (do Pearl Jam) no Green River.
O Mudhoney nunca emplacou como o Nirvana e o Pearl Jam, mas isso é intencional já que uma das ideologias da banda era se manter longe dos holofotes e da mídia.
Pessoalmente não é a minha banda favorita do movimento, mas tem um som muito bom que flerta muito com o Punk Rock.

Soundgarden:

Só to citando o Soundgarden aqui porque é obrigatório, mas eu nunca achei o som deles dos melhores (to sendo sincera). Mas sempre temos aquele disco que vale por toda a opinião contrária e quando se fala do Superunknown, eu tenho que fechar minha boca, apesar das letras serem pesadas e tratarem de temas como suicidio, drogas e depressão, o disco não me deixa mal. Na verdade o Superunknown foi um projeto bem ambicioso de Chris Cornell e cia, mistura vários elementos desde de guitarras pesadas até violão cello (ouça a faixa  Half), tirando que a voz do Chris Cornell nesse album em especial está bem diferente, não só dos outros trabalhos da banda, mas da música da época em geral.


Screaming Trees:


Ta ai uma banda muito boa! Na verdade eu acho o Screaming Trees, um pouquinho injustiçado porque eles não tem um álbum bom e sim vários e é a banda menos lembrada do movimento, mas se as melhores coisas fossem as mais famosas o big brother teria conteúdo!
Enfim, Mark Lanegan tem uma das vozes mais bonitas do grunge, algo que só de ouvir dá nostalgia e o que eu acho mais legal do Screaming Trees é que o som é super acessível, então mesmo que você não curta muito o movimento grunge porque acha o som pesado vai se surpreender como esses caras faziam algo bem feito e até mesmo calminho. E eu super recomendo o Sweet Oblivion, é aquele álbum indispensável na vida de qualquer pessoa.

Alice In Chains:

Vamos falar da minha banda favorita do movimento, eu ouvi Alice In Chains quando estava me iniciando no rock, minha irmã me emprestou o Facelift e eu gostei bem mais ou menos, é que na época eu não ouvia som pesado e quando tocou Man In The Box eu fiquei assustada confesso. Mas mal sabia eu que meus ouvidos iriam se tornar imunes a sons barulhentos (ouvir o Youthanasia do Megadeth foi a prova que agora eu ouço tudo). Mas falando o Alice, ele é totalmente o contrário da banda anterior, o som não tem nada de calmo e flerta muito com o Heavy Metal.
As letras do Alice In Chains, são retrato de uma mente perturbada e eu acho que isso se deve muito ao Layne Staley que tinha muitos problemas com drogas, mas para mim a alma do Alice é o Jerry Cantrell, um dos melhores guitarristas do rock e um dos homens mais lindos dos anos 90 (Jerry é um dos donos do meu coração).


Tá faltando alguém?

Sim, você deve ter acabado de ler pensando que está o faltando o Pearl Jam, mas eu vou falar a verdade eu conheço pouquíssimo do Pearl Jam, o fato é que eu nunca consegui ouvir muito a banda, não por ser ruim é que eu não tenho paciência, só isso, nada contra Eddie Vedder e seus amigos.

Gente eu nem acredito que eu to acabando esse post, ele foi quase um Leão de Nemeia para mim. Agradeço por terem lido até aqui e é isso até a próxima!


You Might Also Like

1 comentários

Pinterest

Pequenas inutilidades que eu encontro por aí

Instagram